Aromaterapia no tratamento do Estresse

O ser humano sempre utilizou as plantas de forma medicinal e as propriedades de algumas delas são conhecidas há milênios. Os “aromas”, substâncias ou misturas de substâncias capazes de ativar tanto o olfato quanto o paladar, são usados de forma terapêutica em todo o mundo, além de serem amplamente empregados no mercado de alimentos industrializados atualmente.
A Aromaterapia’ é uma técnica terapêutica, ciência e arte que utiliza, controladamente, substâncias aromáticas naturais – os óleos essenciais – para melhorar a saúde física, mental e emocional. Por meio dos óleos essenciais, a aromaterapia trabalha o corpo de uma maneira natural e holística.
Os óleos essenciais são substâncias puras e muito concentradas; destiladas das essências que as plantas produzem pelo seu metabolismo secundário. Podem ser encontradas em flores, em folhas, caules, hastes, pecíolos, cascas ou raízes.
Da mesma forma que os chás, são compostos de ativos químicos naturais com propriedades que podem ser calmantes, estimulantes, desintoxicantes etc. A diferença é a sua alta concentração – pela forma de extração dos óleos essenciais – o que implica em alguns cuidados necessários para promover tratamentos adequados.
De modo geral, vale adiantar que devem ser tomados cuidados especiais com bebês, crianças pequenas, gestantes e idosos; além de pessoas em tratamento homeopático, hipertensivos e hipotensivos.

Alguns óleos essenciais que podem auxiliar no tratamento do estresse:

Lavanda:
É considerada a mãe de todos os óleos. Parece limpar e tranquilizar o espírito, aliviando a irritação e o esgotamento; e resultando em uma abordagem mais calma da vida. Tem ação sedativa, sendo reconhecido há muito tempo por proporcionar um alívio eficaz em casos de insônia.

Laranja:
Alivia a tensão e o estresse, favorecendo uma perspectiva positiva.
Parece ter uma forte ação calmante e equilibradora de distúrbios gástricos, atuando sobre o estômago, especialmente em estados de tensão nervosa; e auxiliando em casos de diarreia e prisão de ventre. Sua natureza relaxante pode ser benéfica para casos de insônia decorrentes de ansiedade; e também há a possibilidade de baixar as taxas de colesterol no sangue.

Hortelã-pimenta:
Sua natureza refrescante parece acalmar estados de irritação, histeria e tremedeira nervosa. É excelente para tratar a fadiga mental e a depressão; sendo muito usado para livrar pacientes do complexo de inferioridade, trazendo maior clareza de pensamentos e o desejo de viver uma vida mais ética. É um facilitador de novas ideias, muito benéfico quando se precisa de inspiração.

Cedro:
A tensão nervosa e os estados de ansiedade se beneficiam bastante de sua ação calmante e reconfortante. Isto o torna um valioso recurso facilitador da meditação. Uma ação tônica combinada sobre os sistemas glandular e nervoso ajuda a colocar o organismo em equilíbrio, regulando, dessa forma, a homeostase. Seu principal efeito, entretanto, provavelmente em razão de suas propriedades expectorantes, é no aparelho respiratório, podendo aliviar problemas como bronquite, tosse e acúmulo de catarro. O excesso de mucosidade é controlado pelo efeito “secante” do cedro.

A inalação é ideal para tratamentos de problemas respiratórios, dores de cabeça, insônia, redução de tensão e ansiedade; para estimular a mente e acalmar o sistema nervoso. Algumas ferramentas possíveis:

  • lenço de pano para inalação profunda: 3 ou 4 gotas de óleo essencial;
  • pedaço de algodão para deixar ao lado do travesseiro ou da mesa de trabalho: 1 gota de óleo essencial;
  • colar de cerâmica para inalação gradativa: 1 gota de óleo essencial;
  • difusor de tomada para o ambiente: 15 a 20 gotas de óleo essencial.

Já para o uso tópico, ideal para diminuir dores e tensões localizadas, além de agir nos sistemas nervoso e imunológico, é necessário diluir os óleos essenciais em óleo vegetal ou vinagre de maçã, para que não queimem a pele ou causem reações alérgicas.

1% – Gestantes, crianças após 12 anos, idosos, (quando saudáveis), peles sensíveis ou sinergia facial. – Principalmente nesses casos, é importante consultar um aromaterapeuta qualificado para a escolha do óleo essencial.
2% – Massagem corporal.
3% – Massagem em local de pouca permeabilidade cutânea.
4% – Áreas pequenas, locais doloridos, chakras, perfumes.

Observação: Essas são as dosagens indicadas por Sâmia Maluf nos cursos do Instituto Sâmia Maluf.
Os óleos essenciais são muito concentrados e inflamáveis, portanto, mantenha fora do alcance de crianças, longe de fogo e plástico; e dos olhos. Não é recomendável utilizar difusores de ambiente em lares com animais de estimação, principalmente gatos. O Instituto Sâmia Maluf não orienta a ingestão de óleos essenciais.
Faça bom uso!

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Mais do Blog

R$ 53,26
 ou 12x R$ 4,43

Mais informações

Nossa equipe pode te auxiliar a encontrar a melhor opção de curso pra você e tirar todas as suas dúvidas!